Spiga

Blog Day 2007

Seguem os meus indicados para o Blog Day 2007

Coluna Extra, de Alexandre Gonçalves. Para quem quer gostar de jornalismo e mídia.
Verdade Absoluta, de Bruno Melo. Humor no ponto certo.
Trevosk F.C. Meu time do coração
Efetividade, de Augusto Campos. No exato sentido da palavra.
Poeira Cósmica. A serviço da humanidade

http://www.blogday.org


Pensa que é o Rojas

Em 1989 o goleiro chileno Rojas fez a mesma coisa no Morumbi. Ao ver um sinalizador lançado pela fogueteira, rolou no chão em direção à fumaça e simulou ter sido atingido. Renato Gaucho também já rolou em direção a uma garrafinha de água mineral.
O goleiro Bosco foi mais descarado: no último clássico, quarta, correu vários metros para achar uma pilha. Vejam a cara de pau do cidadão.



Mais detalhes no Futebol Interior

Grandes folclóricos: irmãos Pontes

Esses dias vendo o jogo de volta Brasiliense x Avai percebo o Junior Baiano em campo. É, ele ainda existe. Uma boa pesquisa no Google me leva a uns caras bem mais durões: conheça os irmãos Pontes.

Daison Pontes era violento e fanfarão. Foi punido por tudo, inclusive doping, e só parou quando agrediu um juiz. Em 1974, o zagueiro do Gaúcho de Passo Fundo no Rio Grande do Sul, deu um soco na cara do juiz José Luis Barreto. Foi suspenso por 18 meses e voltou em 1976 apenas para encerrar a carreira. Estava encerrando, também, a ficha mais sujada história do futebol brasileiro. Daison Pontes virou lenda. Grandalhão, fanfarão, carismáatico, ele ajudou a fazer a fama de Passo Fundo como a “terra de machos”.

Formava dupla de área com seu irmão João Pontes, outro exemplo de indisciplina. Foi punido por tudo, desde do doping até agressão, num total de 18 punições. Em 1974, num jogo em Passo Fundo, o juiz José Luis Barreto maarcou um pênalti contra o Gaúcho e Daison o chamou de criolo. E o juiz teria dito – Se te pego fora de Passo Fundo, te expulso. Daison respondeu: Se me expulsar te quebro a cara.

Semanas depois se encontraram em Santa Maria. Os dois cumpriram a promessa. Barreto o expulsou e Daison quebrou a cara do juiz.

As expulsões dos irmãos Pontes.

Daison Pontos:

1959 – agressão a adversário.
1962 – invasão de campo.
1963 – ofensas ao juiz.
1964 – agressão ao adversário.
1964 – ofensas ao juiz.
1964 – ofensas ao juiz.
1964 – ofensas ao juiz.
1966 – agressão ao adversário.
1968 – ofensas ao juiz.
1969 – agressão ao adversário.
1969 – atitude inconveniente.
1970 – agressão ao adversário.
1971 – atitude inconveniente.
1972 – agressão ao adversário.
1973 – agressão ao adversário.
1974 – ofensas ao juiz.
1974 – uso de estimulante.
1974 – agressão ao juiz.

João Pontes:

1964 – agressão ao adversário.
1965 – agressão ao adversário.
1965 – ofensas ao juiz.
1966 – ofensas ao juiz.
1966 – agressão ao adversário.
1967 – ofensas ao juiz.
1969 – atitude inconveniente.
1970 – agressão ao adversário.
1972 – ofensas ao juiz.
1973 – agressão ao adversário.
1974 – ofensas ao juiz.
1978 – ofensas ao juiz.

Museu dos Esportes

Jogo duro

Esses dias vendo o jogo de volta Brasiliense x Avai percebo o Junior Baiano em campo. É, ele ainda existe. Uma boa pesquisa no Google me leva a uns caras bem mais durões: conheça os irmãos Pontes.

Daison Pontes era violento e fanfarão. Foi punido por tudo, inclusive doping, e só parou quando agrediu um juiz. Em 1974, o zagueiro do Gaúcho de Passo Fundo no Rio Grande do Sul, deu um soco na cara do juiz José Luis Barreto. Foi suspenso por 18 meses e voltou em 1976 apenas para encerrar a carreira. Estava encerrando, também, a ficha mais sujada história do futebol brasileiro. Daison Pontes virou lenda. Grandalhão, fanfarão, carismáatico, ele ajudou a fazer a fama de Passo Fundo como a “terra de machos”.

Formava dupla de área com seu irmão João Pontes, outro exemplo de indisciplina. Foi punido por tudo, desde do doping até agressão, num total de 18 punições. Em 1974, num jogo em Passo Fundo, o juiz José Luis Barreto maarcou um pênalti contra o Gaúcho e Daison o chamou de criolo. E o juiz teria dito – Se te pego fora de Passo Fundo, te expulso. Daison respondeu: Se me expulsar te quebro a cara.

Semanas depois se encontraram em Santa Maria. Os dois cumpriram a promessa. Barreto o expulsou e Daison quebrou a cara do juiz.

As expulsões dos irmãos Pontes.

Daison Pontos:

1959 – agressão a adversário.
1962 – invasão de campo.
1963 – ofensas ao juiz.
1964 – agressão ao adversário.
1964 – ofensas ao juiz.
1964 – ofensas ao juiz.
1964 – ofensas ao juiz.
1966 – agressão ao adversário.
1968 – ofensas ao juiz.
1969 – agressão ao adversário.
1969 – atitude inconveniente.
1970 – agressão ao adversário.
1971 – atitude inconveniente.
1972 – agressão ao adversário.
1973 – agressão ao adversário.
1974 – ofensas ao juiz.
1974 – uso de estimulante.
1974 – agressão ao juiz.

João Pontes:

1964 – agressão ao adversário.
1965 – agressão ao adversário.
1965 – ofensas ao juiz.
1966 – ofensas ao juiz.
1966 – agressão ao adversário.
1967 – ofensas ao juiz.
1969 – atitude inconveniente.
1970 – agressão ao adversário.
1972 – ofensas ao juiz.
1973 – agressão ao adversário.
1974 – ofensas ao juiz.
1978 – ofensas ao juiz.

Mais xingada que a Ana Paula

Essa vai ser mais xingada que a Ana Paula. Cheerleader do Santos cantando o Hino do Corinthians...




Kibe Loco

Frases em audio

Algumas das 1000 frases do futebol são mais recentes, já do tempo da Internet. Seguem duas delas em audio para você conferir. Clique na frase para ouvi-la.

114. Só não vale dar o c..., o resto vale tudo! (Gil, atacante do Cruzeiro, respondendo ao repórter de uma rádio se vale tudo para comemorar o título de Campeão Mineiro, até o torcedor invadir o campo e tirar a roupa do jogador)

180. Eu to debilitado, a tarde toda eu tive caganeira, cagando pura água. Falei pro professor que não dá, porque eu to tremendo. (Marcinho, jogador do Grêmio, explicando por que o time perdeu o primeiro jogo contra o Bahia na Copa do Brasil)

Colaborou o leitor Alexandre Gonçalves.

Obina salva (folcloricamente) o Flamengo

Obina sem dúvida é da seleção Folclore da Bola

Depois de 16 rodadas como freqüentador assíduo da zona de rebaixamento, o Flamengo finalmente conseguiu sair do grupo dos quatro rebaixados. Neste domingo, o time carioca bateu o Goiás por 3 a 1, em jogo disputado no estádio do Maracanã, pela segunda rodada do returno do Campeonato Brasileiro.

Além dos gols do Flamengo, o destaque do segundo tempo foi o famoso beijoqueiro, que entrou em campo para tentar dar uma bitoquinha em Obina, mas foi contido por seguranças do Maracanã.

Futebol Interior

Ana Paula chora e quer voltar (a gente deixa)

Ana Paula, recorta a figura e cola no teu cartão amarelinho

Afastada após ensaio, Ana Paula chora e pede retorno


Afastada desde a semifinal da Copa do Brasil, entre Botafogo e Figueirense, no Maracanã, Ana Paula de Oliveira pretende voltar a atuar em breve. Depois de realizar um ensaio sensual para uma revista masculina, a bandeirinha não foi escalada para nenhuma partida oficial.

"Sinto saudades do clima do vestiário, da torcida, até dos insultos. O que eu peço é que me deixem voltar, porque eu gosto do que faço", disse Ana Paula, emocionada, ao programa Esporte Espetacular, da TV Globo.

Sobre o ensaio nu, Ana Paula contou o que fez com parte do dinheiro recebido pelas fotos. "Eu acho que valeu a pena para realizar um sonho, Perguntei para minha mãe o valor da casa que ela queria e transferi o dinheiro", afirmou.

Na pior das hipóteses, Ana Paula deve voltar aos campos no Campeonato Paulista do ano que vem. A auxiliar também recebeu um convite da Federação Baiana de Futebol para trocar de Estado.

Terra

Horror na concentração

Não é Boca Juniors x Gremio pela final da Libertadores... a guerra é ente ABC x Coruripe, pela série C do Brasileirão..

Torcedores invadem hotel e ameaçam jogadores rivais

Em clima de guerra. É assim que está a cidade de Natal para o jogo deste sábado entre ABC e Coruripe, pela Série C do Brasileiro. Em situação complicada na tabela os torcedores do ABC estão fazendo de tudo para prejudicar o Coruripe. Na madrugada deste sábado, por volta de quatro horas da manhã, um grupo de oito torcedores alvinegros soltaram rojões do lado de fora do Residence Praia Hotel, onde o Coruripe está hospedado, acordando boa parte dos hóspedes.
Mas os integrantes da torcida ainda fizeram mais, às sete da manhã entraram no Hotel se dirijiram o restaurante e esperaram por 20 minutos por algum jogadador do Coruripe. Como nenhum apareceu, eles arrancaram e rasgaram um painel do Coruripe que continha notícias e mensagens para os jogadores. A gerência do Hotel precisou chamar a polícia para o grupo deixar o local. Na saída os torcedores gritaram palavras de ordem e ameaçaram o Coruripe antes e depois do jogo deste sábado.Para evitar qualquer novo imprevisto, a Diretoria do Coruripe solicitou presença da Polícia Militar na frente do Hotel até a hora do jogo. A caminho do Estádio Fraqueirão cerca de oito batedores irão acompanhar o ônibus do Hulk. Além disso foram contratados seguranças particulares para realizarem a segurança dentro dos vestiários.
Provocação!
O clima de guerra começou quando a diretoria do ABC divulgou em seu site oficial (www.abcfc.com.br) que foi mal-tratada em Coruripe no último domingo. Segundo o site, o presidente Judas Tadeu ficou revoltado não só com a arbitragem como também com o tratamento, e prometeu dar o troco no jogo deste sábado, proibindo o Coruripe de aquecer no campo e reservando o menor vestiário para o time alagoano. Com essas declarações a diretoria alvinegra acaba incentivando a torcida a ter atitudes como estas registradas na madrugada de sábado.

Coleção Grandes Pegadores (e Canastrões) - vol.4 - Beckham

Amigo do Ronaldo, do Roberto Carlos. Só por isso já se sabe que não presta...

Beckham acaricia Victoria em campanha de perfume
O jogador inglês David Beckham aparece acariciando a mulher Victoria na campanha do novo perfume de sua linha, Intimately.

Na foto, o craque do Los Angeles Galaxy está abraçado à mulher, que usa um provocante vestido de seda deixando as costas à mostra. Beckham faz um olhar provocador enquanto levanta sutilmente um dos lados do vestido e coloca a mão na perna de Victoria.

As fotos acabam de ser divulgadas, mas foram feitas há algum tempo, quando Victoria ainda estava com os cabelos compridos.

O novo perfume foi lançado nas versões feminina e masculina.

Terra

Ana Paula no Carnaval

Capa da revista Playboy de julho, a bandeirinha Ana Paula Oliveira deverá ser uma das sensações do carnaval da Sapucaí em 2008.

A musa foi convidada pelo Salgueiro para sair em um carro alegórico sobre o futebol carioca, representando um dos setores do enredo O Rio de Janeiro continua sendo..., dos carnavalescos Renato Lage e Márcia Lávia.

Caso desfile, a beldade disputará a atenção do público com a rainha de bateria, Viviane Araújo.

De acordo com o presidente da vermelho-e-branco, Luiz Augusto Lages Duran, o Fu, só falta a bandeirinha comparecer aos ensaios, na quadra. "A Ana Paula precisa aparecer na quadra da escola, na Tijuca. É uma condição fundamental para que ela desfile na escola", disse.

Com uma agenda cheia, a bandeirinha, que, antes da Playboy ficou marcada pelos erros na arbitragem do jogo entre Botafogo e Figueirense, pela Copa do Brasil, ainda não esteve no Rio.

Terra Gente & TV

Cantinho do Leitor - Almoçando com o Grizzo

Só pelo nome e apelido, Grizzo já entra pra galeria do Folclore da Bola: Vitalino Barzotto. Além disso, é cultuado por muitos torcedores da 2a. e 3a. divisão, uma vez que conquistou diversos títulos (os mais importantes da história do Avaí, Criciúma e Ponte Preta, por exemplo). Teve uma passagem discreta no Botafogo. Eu lembro dele jogando e ele batia muita bola...
Bom, por que lembrei dele? Recebi um comentário bem pertinente do leitor Willian, que obteve as últimas informações da carreira Grizzense.

Hoje aconteceu algo altamente Folclore da Bola. Estava almoçando em um buffet à quilo bem meia-boca (quase underground) aqui em Joaçaba, quando encontrei o Grizzo, grande meia do Cricíuma do início da década de 90. Depois de disputar Libertadores, ser campeão da Copa do Brasil e se não me engano campeão da Série B pela Ponte Preta ele agora é técnico do IBF (Imbitubense Futebol Clube). Como bom torcedor do Cricíuma não resisti e fui bater um papo com o cara, aproveitando que ele estava totalmente anônimo.
Willian

Grizzo: gente fina

Encontrou alguém folclórico na rua? Conte aqui pro Folclore da Bola!

Ronaldo clonado

Um torcedor francês chamou a atenção após o treino do Brasil desta terça-feira, no estádio La Mosson, onde a equipe de Dunga enfrenta a Argélia nesta quarta-feira, em jogo amistoso. Bashir Abassa, 28 anos, atraiu o olhar de outros fãs presentes ao local.

"Aqui em Montepellier, onde moro, me chamam de Ronaldo, não dá para perceber?", pergunta o filho de imigrantes argelinos.

Questionado sobre o que acha da ausência do atacante do Milan na lista de convocados de Dunga para a partida contra os argelinos, ele se mostra resignado.

"Não sei se há algum problema, mas o 'Fenômeno' tem de estar aqui. Gostaria de perguntar ao Dunga a razão da ausência dele", acrescenta.

Fã do futebol brasileiro, Bashir diz que vai ficar com o coração dividido durante o jogo, apesar da ascendência africana.

"É difícil escolher um lado, gosto muito do Kaká e dos outros brasileiros. Vou ficar feliz com qualquer resultado", disse o torcedor, vestido com uma camisa da Seleção Brasileira e um agasalho do Milan.

Ele pagou 36 euros pelo ingresso para a partida amistosa desta quarta-feira. De acordo com o vendedor de uma das bilheterias do estádio, ainda havia, até o fim da tarde de terça-feira, muitos ingressos disponíveis.

Terra

Nivelando por baixo

Aqui em Floripa é assim. Um vai mal na série A e o outro faz igual na B. Um ganha com gol impedido e o outro ganha do mesmo jeito. Agora a última: semana retrasada alguns jogadores do Avaí fizeram um rolo numa casa noturna. Adivinha o que os jogadores do Figueira fizeram?

Jogadores e torcedores do Figueira se desentendem em bar
Bate-boca aconteceu em bar na Lagoa da Conceição, na Capital

Jogadores e torcedores do Figueirense teriam se envolvido em um bate-boca em um bar na Lagoa da Conceição, na região Leste de Florianópolis, na madrugada deste domingo. A delegação alvinegra chegou à Capital por volta de 1h, após retorno de Curitiba, onde empatou por 1 a 1 com o Atlético-PR, no sábado.

No bar na Lagoa, alguns torcedores foram tomar satisfação sobre a campanha do Figueira na Série A e teria acontecido o desentendimento.

Cinco atletas do clube estariam envolvidos na discussão. Uma cliente que estava no local disse que viu Felipe Santana e Chicão. Alguns jogadores teriam ido ao bar com familiares. O gerente do estabelecimento – que preferiu não se identificar à reportagem do Diário Catarinense – negou que houvesse ocorrido alguma briga.

O meia Peter falou muito pouco sobre o assunto:

– No meu dia de folga eu posso fazer o que quiser e não quero falar sobre isso. Estou tranqüilo, respeito todo mundo, o povo em geral de Florianópolis e quero o respeito de todos. Sobre a minha vida pessoal, eu não gosrtaria de falar – afirmou o jogador à CBN/Diário.

Ainda de acordo com a CBN, o gerente de futebol Anderson Barros disse que iria conversar com os jogadores que foram ao bar. De acordo com o dirigente, não houve briga, apenas um bate-boca.

ClicRBS

Mil frases do futebol 161 a 180


161. Vou guardar na minha sala de troféis.(Kaká, o único lado reto do “quadrado mágico”, referindo-se ao prêmio da FIFA de melhor jogador)
162. Você viu Didi, o São Cristóvão está de uniforme novo! (Garrincha, em 62 no Chile, reparando no uniforme dos ingleses)
163. O meu clube estava à beira do precipício, mas tomou a decisão correta: deu um passo à frente. (João Pinto)
164. Eu fui todo embucetado para pegar aquela bola!(o são-paulino Terto, comentando determinado lance no primeiro tempo do jogo)
165. Pô, eu queria me desculpar aos ouvintes pelas palavras que usei durante o intervalo. Mas queria deixar claro que usei “embucetado” no bom sentido… (o mesmo Terto, no final da partida, justificando aos horrorizados e pudicos ouvintes a natureza da sua explanação)
166. Mas pô, seu juiz, juro que o gol foi legível. Legível!(Luciano, da Portuguesa Santista, questionando a atitude de um fiscal de linha, que levantara a bandeira impedindo o seu gol salvador)
167. Não, acho que o meu estado não inspira gravidez, não… (Nunes, centroavante do Flamengo, teve que sair do gramado de maca. O repórter se aproxima e pergunta se a contusão é grave)
168. Não, claro, como você sabe o Santa vem vindo numa embalagem bárbara!(Henágio, do Santa Cruz, quando o repórter perguntou se o time estava finalmente embalado para seguir firme no Brasileirão)
169. Pô, isso aqui até parece um cardume de abelhas! (Edson Ampola, jogador do Santos, vendo Pelé naufragado num mar de crianças a pedir autógrafos)
170. Se eleito, prometo apedrejar todas as ruas da cidade…(Mingão, volante do Noroeste de Bauru, quando se candidatou a vereador)
171. Pôxa… tenho que comprar barbatanas… (Dedéu, ponta direita que andou por diversos clubes, em uma de suas viagens, ao verificar que havia esquecido de colocar as abotoaduras)
172. Os jogos do Santos no Campeonato Nacional, serão realizados na Vila Belmiro, desde que nosso campo tenha boas condições físicas…(Modesto Roma, antigo diretor do Santos)
173. Afastei o Alexandre, porque resolvi privatizar a disciplina (Joel Santana, quando era técnico do Botafogo)
174. O Levir me colocou, porque sou mais motivacional. (Alvaro, zagueiro do São Paulo, comentando sobre porque Levir Culpi teria substituído Rogério Pinheiro por ele)
175. Estou de regime, e o doutor me proibiu de comer bicarbonato.(Fábio Baiano, explicando por que não comeu macarronada no almoço)
176. O juiz deverá adiar a partida para depois… (Galvão Bueno, antes do amistoso entre Brasil e Inglaterra, durante a falha na iluminação de Wembley)
177. Acho que é o que vai no carro da frente… (o folclórico goleiro Manga, passando um cortejo fúnebre imenso e um transeunte perguntou quem era o famoso falecido)
178. Graças à Deus não vi meu filho ainda, mas vou ver.(Valdson, do Flamengo, após o jogo em 17/07/2002, perguntado por uma emissora de rádio, sobre o nascimento de seu filho)
179. Assinar, ainda não assinei, mas já acertei tudo bocalmente.(Pitico, que jogou no Santos lá pelos anos 70, após acertar a renovação do contrato)
180. Eu to debilitado, a tarde toda eu tive caganeira, cagando pura água. Falei pro professor que não dá, porque eu to tremendo. (Marcinho, jogador do Grêmio, explicando por que o time perdeu o primeiro jogo contra o Bahia na Copa do Brasil)

Por uma falha técnica a frase 114 repetiu a frase 28, então vamos substitui-la

114. Só não vale dar o c..., o resto vale tudo! (Gil, atacante do Cruzeiro, respondendo ao repórter de uma rádio se vale tudo para comemorar o título de Campeão Mineiro, até o torcedor invadir o campo e tirar a roupa do jogador)

Mais frases

Frases 141 a 160
Frases 121 a 140
Frases 101 a 120
Frases 081 a 100
Frases 061 a 080

Frases 021 a 040

Quebrando o galho

Sem alternativa, técnico veste a camisa e entra em campo

Tubarão, SC, 19 (AFI) – A divisão de acesso de Santa Catarina entrou para a história do futebol neste domingo. Sem nenhum jogador substituto no banco de reservas, o técnico do Ferroviário-SC, Édson Criciúma, teve que entrar em campo e terminar em campo na derrota para o Próspera-SC, por 3 a 0, como jogador.

Com problemas de contusões e suspensões, o Ferroviário chegou ao Estádio Domingo Gonzáles, em Tubarão, munido de apenas 11 atletas. Apenas 57 torcedores estavam presentes no estádio para presenciar o que estava para acontecer. Devendo dois pontos na tabela por escalar 18 jogadores de forma irregular na estréia diante do Tubarão – derrota por 1 a 0 -, o Ferroviário também não podia mandar a partida no seu estádio em Capivari de Baixo, pois estava interditado.
Ainda no primeiro tempo, o lateral-esquerdo Peteca começou a sentir fortes dores musculares e solicitou substituição. Édson não soube o que fazer e pediu para o jogador agüentar mais um pouco. No entanto, o inesperado, mas inevitável devido às circunstâncias aconteceu aos 40 minutos da etapa final.

Vestindo a camisa 17, Édson Criciúma, também inscrito pelo clube como jogador, foi até o quarto árbitro, assinou a ficha e partiu para o campo. Nos poucos minutos em que esteve em campo, o treinador-jogador pouco tocou na bola, mas deixou seu recado.

“Estamos em dificuldades, mas vamos seguir esse trabalho. Estou confiante que vamos revelar bons jogadores aqui. Estou disposto a trabalhar e ajudar, como fiz neste domingo”, afirmou, orgulhoso, o polivalente Édson Criciúma.

Ficha Técnica

Ferroviário 0 x 3 Próspera

Local: Estádio Domingo Gonzáles, em Tubarão
Árbitro: Claiton Paz
Gols: Marcelo Silva, aos 36´/1T, Gabriel, aos 3´/2T; Adriano, aos 46´/2T (Próspera).

Ferroviário
Lucas; Rogério, Diogo, Maicon e Peteca (Édson Criciúma);
Dodô, Juninho, Marcelinho Gaúcho e Leandro; Alan e Alexandre.
Técnico: Édson Criciúma.

Próspera
Márcio; Josi, Fernando, Gabriel e Ricardinho; Leandro Melo,
Felipe, Adriano e Luisinho Vieira; Neném e Marcelo Silva – entraram Juca,
Diego e Danilo
Técnico: Paulo Serrano.

Futebol Interior

Irmãzinha do Careca

O defensor italiano Marco Materazzi reproduziu, em um programa de televisão na Itália que será exibido na próxima segunda-feira, as palavras que provocaram a reação explosiva do francês Zinedine Zidane na final da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha. "Prefiro a p... da sua irmã", foi o que disse Materazzi, antes de receber uma cabeçada do capitão francês, que foi expulso pela agressão, aos 4min do segundo tempo da prorrogação. A Itália venceu a decisão nos pênaltis, após empate por 1 a 1 no tempo normal. Materazzi já havia declarado que espera desculpas e também que tentou se reencontrar com Zidane para esclarecer a polêmica. Materazzi não queria revelar o conteúdo de seu comentário, mas mudou de opinião, segundo o programa TV Sorrisi e Canzoni, para acabar com os rumores de que teria usado expressões racistas. "Agarrei a camisa dele por alguns segundos, o Zidane se virou e me disse que, se eu queria a camisa dele, ele me daria depois, e eu respondi com um insulto, é verdade", declarou o jogador, pouco depois da final, sem dar mais detalhes. Esse insulto seria a frase dita no programa. Materazzi afirmou na entrevista que, depois deste incidente, pensou muito e que a polêmica serviu para que se desse conta dos erros e excessos cometidos. Zidane se aposentou dos gramados logo após o vice-campeonato no Mundial.


Lila Zidane: meia boca

Capiloton batizado

Marcão: na verdade cabeludão


Curioso é o item 5 da nota oficial do Inter: seria uma das providências a aquisição de uma peruca?
"Se seus cabelos começaram a cair, não adianta disfarçar... use logo Capiloton e resolva seu problema de queda de cabelo"
Mais um jogador da Série A é pego no antidoping
O zagueiro Marcão, do Internacional, foi flagrado no exame antidoping. É o que confirma o próprio clube, em seu site oficial, afirmando que o resultado da contraprova deu positivo, apesar de esclarecer que a substância encontrada não tem efeito dopante.
Nesta nota, o jogador confirma que a substância localizada pelo exame está relacionada a um medicamento usado por ele para combater a calvície. O exame foi referente ao jogo contra o Juventude e não contra o Sport, como havia sido divulgado.
Confira a nota do Colorado:
"A direção do Sport Club Internacional, diante do resultado positivo na contraprova do exame antidoping ao qual foi submetido o atleta Marcão, após o jogo entre Juventude e Internacional, válido pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro, vem a público esclarecer o seguinte:
1 - Conforme informação obtida do atleta, a substância apurada resulta da ingestão de medicamento de uso contínuo destinado ao tratamento da queda de cabelos;
2 - A substância revelada no exame não possui efeito dopante, apesar de incluída no rol das vetadas;
3 - A conduta do atleta é guarnecida de boa-fé, eis que desprovido de qualquer objetivo diverso daquele apontado pelo medicamento;
4 - Dada a seriedade do tema, evitando-se dano à imagem do atleta e do clube, deve o mesmo ser tratado com serenidade e cautela;
5 - O Internacional já adotou iniciativas e providências, no campo jurídico e técnico-científico, buscando assim fundamentar a defesa e a preservação dos seus interesses e do atleta;
Vitorio Piffero
Presidente do Sport Club Internacional"

Romário Subindo no Telhado - Mais 5 joguinhos

Romário driblou tanto na vida, driblou até as contas dos que não acreditavam que seria capaz de chegar ao milésimo gol. Não foi parado por nenhum zagueiro, por nenhum crítico que condenou sua insistência em continuar jogando bola.

Mas foi parado por uma dor que nasceu há três meses, e aos poucos foi tomando as articulações de seu pé direito, tão massacrado pelos chutes na bola, pisões e campos esburacados. Hoje, Romário não consegue mais jogar futebol. Não consegue dançar funk ou hip-hop. Mal consegue dirigir.

Romário não consegue dizer nem mesmo se ainda volta a jogar bola. Em entrevista exclusiva, por telefone, o jogador do Vasco, a caminho de mais um exame, garantiu que a luta contra a dor tem uma razão mais importante do que a volta às pistas de dança ou campos de pelada. Ele ainda quer vestir a camisa do Vasco talvez umas cinco vezes, nem que seja para ficar no banco e jogar cinco minutos.

E não tem vergonha de explicar por que tanta persistência dessa vez: está atendendo a um pedido do filho Romarinho, que não aceita que o último jogo do pai tenha possa ter sido o da derrota de 4 a 0 para o Botafogo, no dia 14 de junho, pelo Brasileiro. Faz sentido.

Confira a entrevista na íntegra:

Você finalmente encerrou a carreira?
Romário - Acho que não. Meu pé é que está ferrado.

Qual é o problema?
Romário - Eu tenho tendinite, bursite, sinusite, um monte de ite (risos). Talvez, tenha até que fazer uma cirurgia.

Qual é a causa da lesão?
Romário - Não torci o tornozelo, mas ninguém consegue saber o que aconteceu. Comecei a sentir essa dor há algum tempo e, quando melhorei e comecei a treinar, ela voltou a incomodar. É uma dor que vai parar na cabeça...

Há alguma previsão para a sua volta aos campos?
Romário - Não. Já fui até a um angiologista, doutor Marcelo Ferreira, porque havia suspeita de um problema circulatório. Fiz até aquele exame, doppler, mas o resultado saiu na hora e, graças a Deus, não acusou nada de anormal.

Qual é o próximo passo?
Romário - Hoje (quinta-feira), fui a uma especialista em tornozelo, doutora Verônica Viana. Vou fazer agora uma ressonância e mais três exames que ela pediu. Talvez, tenha que fazer uma artroscopia. Estou há três meses com esse problema. Nos primeiros 40 dias, eu ainda conseguia treinar. Agora, não dá mais.

Onde é a dor, exatamente? É no tornozelo?
Romário - É nas articulações do pé direito, o mesmo que operei em 1990. São 25 anos traumatizando o local, né? Jogo no campo, na areia, em grama sintética...

Teme se aposentar antes do prazo previsto?
Romário - Antes do previsto? Era para eu ter parado há uns 12 anos! Eu gostaria muito de parar de repente, sem que percebessem, mas me considero em condições de jogar mais umas partidinhas. Se não der mais, paciência.

O que significa jogar mais umas partidinhas?
Romário - Não chega a cinco.

Cinco? Então, você praticamente parou...
Não escreve isso, não. Se eu jogo 10, a matéria vai ficar furada. Vai que disputo três jogos e meto 15 gols... E aí? Mas posso dizer que a carreira está acabando mesmo. Estou encerrando.

Por que ainda quer jogar essas cinco partidinhas?
Romário - Por agradecimento aos torcedores e ao Vasco. Quer saber uma coisa? Se eu estivesse legal do pé, já teria parado de uma vez.

Não acha que o time está engrenado sem você?
Romário - Está. E eu não quero atrapalhar. Se eu entrar em campo cinco minutos de cada jogo, já estará bom demais.

Ué?!? Ficar no banco?

Romário - Qual é o problema? Já passei dessa fase. Estou com 41 anos e sei me colocar. O Celso Roth é um cara do c... A gente tinha que ter se conhecido antes.

O que faz você, sentindo dor no pé, querer ainda entrar em campo no máximo cinco vezes, mesmo ficando no banco?
Romário - Não posso parar depois de ter tomado uma porrada de 4 a 0 na cabeça. No meu último jogo, perdi de quatro para o Botafogo. Nem meu filho quer que eu pare agora.

O Romarinho fez esse pedido a você?
Romário - Fez. Ele disse: 'pai, você não parou não, né? Você perdeu de quatro... Faz mais uns joguinhos'. Meus pais é que ficam no meu ouvido, querendo que eu continue.

Houve uns comentários recentemente na CBF de que você seria convocado para um jogo das eliminatórias, para se despedir da Seleção. Isso é verdade?
Romário - Estou em uma idade em que não posso passar vergonha. Não posso fazer graça para os outros. O que vou fazer na Seleção? Passar ridículo?

O que achou das farpas trocadas entre o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, e o Ronaldo?
Romário - Não me meto nos problemas dos outros, pois já tenho muitos para resolver. O presidente falou o que tinha que falar, e o Ronaldo respondeu como quis.

Apesar de não conseguir descobrir o que tem no pé, você está bem-humorado. Não está abatido?
Romário - Se fosse há três ou quatro anos, eu estaria triste. Estou aceitando isso, mas é claro que é complicado... Gosto de jogar minhas peladas e sinto dor até quando dirijo. Nem dançar mais meu hip-hop e meu funk eu estou podendo.

Consegue namorar?
Romário - Estou velho para algumas coisas, mas, para namorar, estou cada vez melhor. A Isabella é quem diz isso. Com essa dor que venho sentindo, fica difícil namorar em pé, mas foi por isso que inventei outras posições (risos). Há muitas formas.

Terra

Saudades da Ana Paula

Eduardo Peixoto
Bandeirinha Ana Paula Oliveira chega à festa da Playboy

A fama da bandeirinha Ana Paula Oliveira já ganhou o mundo, mais pela beleza do que por sua competência dentro de campo. Numa pesquisa do “El Mundo Deportivo”, da Espanha, que pede aos internautas para elegerem sua desportista preferida, Ana Paula está em segundo lugar, com 1% a menos do que a musa do tênis Maria Sharapova. A saltadora russa Isinbayeva esta em terceiro, com 11% dos votos. Sharapova, no início da tarde desta quinta-feira, tinha 40%, contra 39% de Ana Paula.

Globo Esporte

Bichos mascotes

Os clubes são pouco criativos no que diz respeito a mascotes. Sempre os mesmos animais ferozes ou peçonhentos, sugerindo a garra do time. Só de Leões tem uns 50. Tigres, cobras e outros fazem a fauna do futebol.
Entretanto, temos que tirar o chapéu para o Ananindeua-PA, que joga a série C. Seu mascote é uma tartaruga. Lento, mas original...
A estréia na série C não foi nada boa. Viajou ao Piauí e levou 3 x 0 do Barras.









Espaço dos Leitores

O FB recebe de braços abertos a opinião dos leitores. Replico aqui uns comentários (ou fofocas) de utilidade pública e um pedido de mais informações...
Obrigado galera!

Sobre o Manga

Meu nome é Sidney
Sou admirador deste magistral goleiro, sempre que posso estou verificando noticias dele. Se alquem souber um endereço de e-mail dele gostaria de manter contato com ele. Meu e-mail é sidneysjm@hotmail.com Obrigado.

------------
Sobre o Djair
I
O cara ja esta no time do folclore. Agora ja esta vivendo a quase 1 ano com uma outra mulher de tirar o folego.Seu nome e Monica Guimaraes.Ela foi eleita musa do verao e Gata da praia no dia 19 de marco de 2006,no palco do Domingo legal. Anônimo

II
O cara pegou a Cristina Mortagua também, que na minha opinião bota a paquita no banco.
Alexandre Gonçalves

Djair dando um pega na Mortagua (o Edmundo também já pegou)

Alfinetando - Renato Gaucho x Joel Santana

I
Toda vez que ouço falar do Joel Santana lembro de um Avaí x Bahia na Ressacada em 1999. Um torcedor jogou um rojãozinho perto da casamata dele. Ele se apavorou pensando que era uma bomba e saiu correndo. Saiu um estalinho de nada e o técnico levou a maior vaia...

II
Renato Gaucho veio jogar (marcando seu primeiro gol) pelo Flamengo em Floripa em 1987, amistosão. A torcida, lembrando do episódio da Copa 86, não perdoava:
_ Andro, andro, andro, deu a b... pro Leandro!! Renato reagia fazendo um protesto obsceno óbvio com o dedo. Durante o jogo atiraram uma garrafa de água mineral no gramado (tentando atingir Renato), mas caiu longe. O mala tentou fazer confusão, atirou-se no chão rolando em direção à garrafinha, fingindo ter sido atingido. O árbitro viu e mandou levantar. Vaia e risada total....

Treinador afirma que comandante Rubro-Negro foi perdedor como jogador

A guerra de "trocadilhos" para o Fla x Flu começou nesta terça-feira nas Laranjeiras. Ao ser questionado sobre o duelo com seu amigo Joel Santana, o técnico Renato Gaúcho não perdeu seu jeito de provocar e alfinetou o comandante rival.

"Como jogador, eu levantei 16 taças e nunca vi o Joel levantar nenhuma. Neste sentido, acho que estou em vantagem. Quero ver quem me consegue uma foto dele levantando uma taça", disse em tom de brincadeira.

Ao comentar sobre o clássico contra o Flamengo na próxima quinta-feira, às 20:30h (de Brasília), no Maracanã, o treinador tricolor afirmou que todo cuidado é pouco.

"Não podemos bobear ou pensar que o jogo será fácil por causa da situação em que o Flamengo se encontra (zona de rebaixamento). O Flamengo é sempre um perigo, independentemente da posição ou da fase. Prova disso é que no jogo contra o Náutico, ele colocou 40 mil pessoas no Maracanã, em um sábado à noite. Todo o cuidado é pouco", disse desta vez mais sério.

Fanáticos por Futebol

Momento Folclore da Bola

O FB agradece ao jornalista Alexandre Gonçalves, pela referência (e homenagem!) postada no blog Coluna Extra.

Piada de Arquibancada

Momento Folclore da Bola do Coluna Extra registra a tabelinha entre novela e futebol:

Conversa entre torcedores.
- O Flamengo* vai contratar o Olavo**, da novela das 8.
- E pra quê?
- Pra tirar o Flamengo da zona.
Legenda da piada
*O nome do time pode ser adaptado para qualquer um que esteja na zona de rebaixamento - ou próximo dela - na série A ou na série B. Depende de quem conta (no sábado, no jogo do Avaí, um senhor repetia a piada para cada amigo que sentava ao seu lado).

**O executivo Olavo, personagem de Wagner Moura, se apaixona pela garota de programa Bebel, personagem de Camila Pitanga.

Você contrataria o Olavo ou a Bebel? Deixe seu comentário.

Folclore dos Tribunais

Depois da polêmica na declaração de um cartola na TV, a vida do jogador Richarlyson nunca mais foi a mesma. Hoje ele foi ao Fantástico dizer que era espada. De todo esse rolo, o que ficou de folclórico foi a sentença do Juiz:


Íntegra da decisão do jogador Richarlyson
Processo n° 936/07 Conclusão Em 5 de julho de 2007, Faço estes autos conclusões ao dr. Manuel maximiano Criminal da Câmara da Capital. Eu, Ana Maria R.Goto, Escrevente, digitei e subscrevi. A presente queixa-crime não reúne condições de prosseguir. Vou evitar um exame perfunctório, mesmo porque é vedado constitucionalmente, na esteira do artigo 93, inciso (IX), da carta Magna. 1. Não vejo nenhum ataque do querelado ao querelante. 2. Em nenhum momento o querelado apontou o querelante como homossexual. 3. Se o tivesse rotulado de homossexual, o querelante poderia optar pelos seguintes caminhos: 3.A — não sendo homossexual, a imputação não atingiria e bastaria que, também ele, o querelante, comparecesse no mesmo programa televisivo e declarasse ser homossexual e ponto final; 3.B — se fosse homossexual, poderia admiti-lo, ou até omitir, ou silenciar a respeito. Nesta hipótese, porém, melhor seria que abandonasse os gramados... Quem é, ou foi, BOLEIRO, sabe muito bem que estas infelizes colocações exigem réplica imediata, instantânea, mas diretamente entre o ofensor e o ofendido, num “TÈTE-À-TÈTE” Trazer o episódio à Justiça, outra coisa não é senão dar dimensão exagerada a um fato insignificante, se comparado à grandeza do futebol brasileiro. Em Juízo haverá audiência de retratação, exceção da verdade, interrogatório, prova oral, para se saber se o querelado disse mesmo...e para se aquilatar se o querelante é, ou não... 4. O querelante trouxe em arrimo documental, suposta manifestação do “GRUPO GAY”, DA BAHIA (FOLHA 10) em conforto a posição do jogador. E também suposto pronunciamento publicado na Folha de S.Paulo, de autoria do colunista Juca Kfouri (folha 7), batendo-se pela abertura, nas canchas de atletas com opção sexual não de todo aceita. 5. Já que foi colocado como lastro, este Juízo responde: futebol é jogo viril, varonil, não homossexual. Há hinos que consagram essa condição: “OLHOS ONDE SURGE O AMNHÃ, RADIOSO DE LUZ, VARONIL, SEGUE SUA SENDA DE VITÓRIAS...”. [trecho do hino do Sport Clube Internacional, de Porto Alegre (RS)] 6. Está situação incomum do mundo moderno, precisa ser rebatida... 7. Quem se recorda da “COPA DO MUNDO DE 1970”, quem viu o escrete de ouro do jogador (Félix, Carlos Alberto, Brito, Everaldo e Piaza; Clodoaldo e Gerson; Jairzinho, Pelé, Tostão e Rivelino), jamais conceberia um ídolo seu como homossexual. 8. Quem presenciou grandes orquestras futebolísticas formadas: Sejas, Clodoaldo, Pelé e Edu no Peixe; Manga, Figueroa, Falcão e Caçapava, no Colorado; Carlos, Oscar, Vanderlei, Marco Aurélio e Dica, na Macaca; dentre inúmeros craques,não poderia sonhar em vivenciar um homossexual jogando futebol. 9. Não que um homossexual não possa jogar bola. Pois que jogue, querendo. Mas, forme o seu time e inicie uma Federação. Agende jogos com quem prefira pelejar contra si. 10. O que não se pode entender é que a Associação de Gays da Bahia e alguns colunistas (se é que realmente se pronunciaram neste sentido) teimem em projetar para os gramados, atletas homossexuais. 11. Ora, bolas, se a moda pega,logo teremos o “SISTEMA DE COTAS”, forçando o acesso de tantos por agremiação... 12. E não se diga que essa abertura será de idêntica proporção ao que se deu quando os negros passaram a compor as equipes. Nada menos exato. Também o negro e, homossexual, deve evitar fazer parte de equipes futebolísticas de héteros. 13. Mas o negro desvelou-se (e em vária atividades) importantíssimo para a história do Brasil: o mais completo atacante, jamais visto, chama-se Edson Arantes do Nascimento e é negro. 14. O que não se mostra razoável é a aceitação de homossexuais no futebol brasileiro, porque prejudicariam a uniformidade de pensamento da equipe, o entrosamento, o equilíbrio, o ideal... 15. Para não se falar no desconforto do torcedor,que pretende ir ao estádio, por vezes com seu filho, avistar o time do coração se projetando na competição, ao invés de perder-se em análise dos comportamento deste, ou aquele atleta, com evidente problema de personalidade, ou existencial; desconforto também dos colegas de equipe, do treinador, da comissão técnica e da direção do clube. 16. Precisa, a propósito, estrofe popular que consagra:
“CADA UM NA SUA ÁREA, CADA MACACO EM SEU GALHO, CADA GALO EM SEU TERREIRO, CADA REI EM SEU BARALHO”.
17. É assim que eu penso...e porque penso assim, na condição de Magistrado, digo! 18. Rejeito a presente queixa-crime. Arquivam-se os autos. Na hipótese de eventual recurso em sentido estrito, dê-se ciência ao Ministério Público e intime-se o querelado para contra-razões. São Paulo, 5 de julho de 2007. Manoel Maximiano Junqueira Filho
juiz de direito titular
Terça-feira, 7 de agosto de 2007

Querendo aparecer

Olho nele, Bugre! Túlio promete dedicatórias no domingo

O Guarani que se cuide. Domingo, o atacante Túlio, do Vila Nova-GO, tem planos para comemorar os gols que vir a marcar. Conhecido pelas comemorações irreverentes, o goleador já sabe quem vai homenagear em caso de balançar as redes.

“Ultimamente venho homenageando minha mulher, meus filhos, mas os próximos gols serão para o prefeito de Goiânia (Íris Rezende) e o governador de Goiás (Alcides Rodrigues Filho)”, afirmou.

Futebol Interior

Cadê o Junior Baiano?

Jornal lista 50 homens mais temidos do futebol

O jornal britânico The Times divulgou nesta semana uma lista feita por seus jornalistas com os 50 homens mais temidos do futebol de todos os tempos.

E coube ao espanhol Andoni Goikoetxea a honra de figurar no topo dela. Seu feito mais marcante no futebol foi o de ter rompido os ligamentos do tornozelo de Maradona, em 24 de setembro de 1983, quando o craque argentino jogava pelo Barcelona.

Os jogadores italianos Tardelli, Bergomi e Gentile, integrantes da seleção italiana campeã da Copa do Mundo de 1982 estão entre os dez mais.

Até mesmo um árbitro, o italiano Pierluigi Collina, aparece na lista. Ele é o 50º colocado na lista e, segundo a publicação, merece estar presente por causa de seus esbugalhados olhares que metem medo em qualquer jogador.

O Brasil, segundo a reportagem praticante do jogo bonito, não teve representante algum.

Confira abaixo lista completa:

1. Andoni Goikoetxea (Athletic Bilbao)
2. Stuart Pearce (Nottingham Forest e Inglaterra)
3. Basile Boli (Marseille, Glasgow Rangers e França)
4. Willie Woodburn (Glasgow Rangers e Escócia)
5. Johnny Giles (Leeds United e Irlanda)
6. Leonel Sanchez (Chile)
7. Tommy Smith (Liverpool)
8. Claudio Gentile (Itália)
9. Giuseppe Bergomi (Itália)
10. Marco Tardelli (Itália)
11. Roy Keane (Manchester United e Irlanda)
12. Giuseppe Lorenzo (Bologna)
13. Paul Reaney (Leeds United)
14. Jose Batista (Uruguai)
15. Dave Mackay (Tottenham Hotspur e Escócia)
16. Billy Bremner (Leeds United e Escócia)
17. Antonio Rattin (Argentina)
18. Norman Hunter (Leeds United e Inglaterra)
19. Luis Medina (Estudiantes de La Plata)
20. Graeme Souness (Liverpool, Glasgow Rangers e Escócia)
21. Terry Butcher (Ipswich, Glasgow Rangers e Inglaterra)
22. Bryan Robson (Manchester United e Inglaterra)
23. Terry Hurlock (Millwall)
24. Benjamin Massing (Camarões)
25. Ron Harris (Chelsea)
26. Peter Storey (Arsenal e Inglaterra)
27. Ferenc Puskas (Real Madrid, Hungria e Espanha)
28. Jack Charlton (Leeds United e Inglaterra)
29. Bert Trautmann (Manchester City)
30. Romeo Benetti (Italy)
31. Kenny Burns (Nottingham Forest e Escócia)
32. Jose Emilio Santamaria (Real Madrid, Uruguai e Espanha)
33. Patrick Vieira (Arsenal, Inter e França)
34. Joe Jordan (Leeds United, Manchester United, Milan e Escócia)
35. Frank Barson (Aston Villa, Manchester United e Watford)
36. Daniel Passarella (Argentina)
37. Nobby Stiles (Manchester United e Inglaterra)
38. Duncan Ferguson (Dundee United, Glasgow, Everton, Newcastle e Escócia)
39. Paolo Monteiro (Juventus e Uruguai)
40. Billy Whitehurst (Sheffield United, Hull City e Newcastle United)
41. Bobo Balde (Celtic)
42. Duncan Edwards (Manchester United e Inglaterra)
43. Fernando Hierro (Real Madrid e Espanha)
44. Zlatan Ibrahimovic (Ajax, Juventus, Internazionale e Suécia)
45. Marco Materazzi (Everton, Internazionale e Itália)
46. Roy McDonough (Birmingham City)
47. Miguel Angel Nadal (Barcelona e Espanha)
48. Joe Louis (Liverpool)
49. Chic Charnley (Partick Thistle)
50. Pierluigi Collina (Árbitro)

Terra

E você, quem incluiria na lista? Deixe seu comentário.

Torcida que sofre

A torcida do Avai FC tem passado maus bocados nos últimos anos. Sua última administração não conseguiu chegar nem a uma final de estadual e virou motivo de piada da torcida adversária. Os torcedores, acostumados a ficar até o fim do ano com esperanças na série B, dessa vez estão indo pra casa mais cedo. Eu, por exemplo, já joguei a toalha (e lamento o fato de não poder comer os "espetinhos do Ceará"). O divertido (ou trágico) disso tudo é ver os fóruns de torcedores, que refletem o desânimo atual. Vejam o teor dos tópicos após a melancólica derrota em casa para a Ponte Preta (fórum do www.souavaiano.com.br).

Mais uma despedida

Romário pode voltar a jogar pela seleção. De acordo com o colunista Ancelmo Gois, ganha fôlego um movimento para tentar convencer o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, e o técnico da seleção, Dunga, a proporcionar ao craque mais uma oportunidade de se despedir da equipe. A idéia é utilizar o jogador na partida contra o Equador, pelas eliminatórias, dia 17 de outubro, no Maracanã.

O Baixinho entraria em campo pela última vez, jogaria alguns minutos com a camisa pentacampeã e, ao fim do jogo, decretaria a aposentadoria da seleção. O convite seria um agrado ao jogador, que está engajado no projeto do Brasil de sediar a Copa de 2014.

Ao saber da possível homenagem, o técnico da seleção brasileira não respondeu se seria viável convocar o atacante, que está com 41 anos e não atua pelo Vasco desde o dia 14 de junho.

- Não sei nada nada sobre esse assunto - afirmou Dunga nesta terça-feira, após convocar 22 jogadores para o amistoso do Brasil contra a Argélia, no dia 22 deste mês.

Sassá Vampeta

O meia são-paulino Souza aproveitou a vitória de 2 a 0 sobre o Grêmio, neste domingo à noite, em Porto Alegre (RS), para responder às provocações do corintiano Vampeta. Ele lembrou até um personagem de novela para provocar o camisa cinco alvinegro.


"Estão dizendo que o Vampeta virou o salvador da pátria. Então ele é o Sassá Mutema. Salvador da pátria eu só conheço o Sassá Mutema", brincou.

Sassá Mutema foi o personagem vivido por Lima Duarte na novela O Salvador da Pátria, exibida pela Rede Globo em 1989.

Na última sexta-feira, Vampeta havia dito que Souza era um "palhaço" e que não deveria usar a camisa 10. Antes, Souza já tinha provocado o colega chamando-o de "papagaio" pelas declarações polêmicas antes de voltar a atuar.

No jogo contra o Grêmio, Souza deu o passe para o primeiro gol, de Borges, e lembrou a jogada para dar mais uma alfinetada no corintiano.

"É a resposta que eu tenho para dar aos que desconfiam do meu futebol. Chegar à 13ª assistência no campeonato em clube grande, usando a camisa 10, não é para qualquer um. Está de bom tamanho", disse Souza.

O meia ainda disse que deverá continuar no São Paulo, mesmo depois de ter dito que tinha uma proposta do futebol do exterior.

"Não estou de saída. Minha intenção é cumprir meu contrato e renovar. Eu me sinto em casa no São Paulo. A proposta foi uma coisa que a diretoria passou pra mim e eles estão resolvendo. Não estou forçando a barra, até porque eu jogo no melhor time do Brasil", declarou.

Terra

Coleção Grandes Momentos

Em março de 1997 um fato inusitado ocorreu no Estádio Jair Bittencourt, em Itaperuna (RJ). Jogavam Vasco e Itaperuna pelo Campeonato Estadual. O Vasco fez 2 a 0, mas permitiu o empate do Itaperuna. No finalzinho do jogo, Edmundo fez 3 a 2 para o Vasco e os jogadores do Itaperuna protestaram muito, interrompendo o jogo. Vejam o que acontece...

Batendo uma bolinha

O certo era ele voltar ao futebol profissional, só mais um pouco. Sócrates fez isso há uns anos, emprestando sua experiência e categoria na 5a. divisão escocesa (terra do whisky).


Após receber alta, Maradona participa de amistoso

Quase três meses após receber alta médica de uma clínica psiquiátrica, o ex-jogador argentino Diego Maradona voltou a jogar futebol, disputando uma partida de "showbol", no estádio do Newell's Old Boys, na Argentina.
"Eu me senti muito bem, me diverti e jogamos a sério", disse após o jogo.
Maradona foi o capitão da equipe de veteranos da Argentina que venceu a do Uruguai por 8 a 5, marcando um gol de pênalti.
A equipe argentina contou também com Goycochea, Fernando Gamboa, McAllister, Mancuso, Almeyda, Héctor Almandóz, Alberto Carranza e Leonardo Ruíz.
Pelo Uruguai, jogaram Jorge Seré, Serafín García, Gabriel Cedrés, Sergio Martínez, Miguel Aguirrezabala, Rubén Da Silva, Rubén Paz, Nicolás Moliterno, Hugo de León e Venancio Ramon y Roibal.
Maradona sofreu uma hepatite tóxica aguda causada pelo consumo de álcool em 28 de março. O ídolo argentino foi internado em três hospitais antes de receber tratamento numa clínica psiquiátrica, na qual ficou até o dia 6 de maio.
"Diego está fenomenal", disse o ex-jogador Mancuso após o jogo. "Ele joga a sério e quer ganhar tudo, como de costume", completou.

Grandes folclóricos: Hiran

Seguindo a linha do Manga, mais um goleiro do Folclore da Bola: Hiran

Ex-goleiro pede R$ 100 mil e mais um Corolla ao Guarani

Uma proposta inusitada surgiu ao Guarani na última quarta-feira. O ex-goleiro Hiran, atual preparador de goleiros e auxiliar-técnico do Jaguaré-ES, confessou que a dívida que ele tem com o Bugre poderá ser paga com R$ 100 mil e mais um automóvel Corolla, que custa em torno de R$ 50 mil.

"Eu sei dos problemas que o Guarani tem passado, que toda a renda arrecadada nas partidas não vai para o clube. Eu sei da crise financeira do clube. Por isso, além do dinheiro, o clube poderia me pagar com um Corolla. E pode pagar em cinco anos, que não tem problema”, disse o Hiran.
O presidente bugrino, Leonel Martins de Oliveira, atento à entrevista e aproveitando que o Jaguaré virá a Campinas no domingo, jogar contra o Guarani, decidiu se reunir com o ex-jogador para definir o futuro da dívida.

Goleiro louco
Certa vez, no Morumbi, ele deixou o jogo para ir ao lado da trave e urinar. Outra vez, nos vestiários, diante de uma repórter, fez questão de baixar a toalha para dar entrevistas, causando enorme constrangimento no ambiente, apesar da frieza da repórter que se manteve séria durante toda a conversa.
Também chamou atenção um fato curioso: quando foi tirar sua carteira de habilitação, Hiran exagerou no acelerador e deu um “cavalo de pau”, acabando preso pelo delegado.

Em 1997, Hiran também teve seus momentos de glórias ao marcar um gol de cabeça diante do Palmeiras, no empate por 3 a 3. Se tinha um comportamento estranho fora de campo, nas quatro linhas era um grande goleiro, de excelente condição técnica. Agora mora em Jaguaré, no Espírito Santo.

Futebol Interior

Sem dúvida Hiran merece o Corolla

O Folclore na série C

O Campeonato Brasileiro da Série C entra na sua última rodada nesse próximo final de semana. E dentre gols, jogos emocionantes, vitórias, derrotas e emoções, muitos nomes de jogadores nos 64 clubes que disputam essa 1ª fase da competição vem se destacando, não somente pelo futebol dos atletas, mas como também pelos seus nomes: fictícios ou não.

Na relação que segue abaixo, a maioria é do Norte ou Nordeste brasileiro, mostrando a criatividade das pessoas dessas regiões.
Confira alguns nomes que vem fazendo a alegria da galera nos estádios.
Labilá (Fast Clube –AM)
Tirone (Nacional – AM)
Baleia (Fast –AM)
Ávine (Bahia)
Bill (Bragantino –SP)
Tinha (Nacional –AM)
Renna (Atlético de Alagoinhas – BA)
Possato (Vila Nova -GO)
Kena (Poções – BA)
Zumbi ( Nacional –AM )
Zulu (Esportivo – RS)
Técnico: Pery (Jaruense - RO)

Baleia bate um bolão no Fast (AM)

Materazzi, o bonzinho

Assistam o video no fim deste post e cheguem a uma única conclusão: o Zidane deveria ter cabeceado com mais força!

Materazzi quer encontrar Zidane
Zagueiro da seleção italiana diz que craque francês vive fugindo dele

O zagueiro Materazzi, do Internazionale, defende seu estilo de jogo duro e assegura que, desde a famosa cabeçada de Zidane, na final da Copa do Mundo de 2006, vem tentando se reencontrar com ex-craque francês.

- Estou em paz comigo mesmo. Por várias vezes já tentei me encontrar com ele para esclarecer tudo, mas ele tem fugido de mim. Sendo assim, o problema é dele - declara o zagueiro, que completará 34 anos no próximo dia 19, à revista alemã "Sport Bild".

O zagueiro se negou novamente a contar o que falou a Zidane para que o craque reagisse daquela maneira agressiva, mas assegura que escreverá tudo em um livro. Em relação ao seu estilo de jogo truculento, o jogador sustenta que é duro, mas não violento, julgando-se respeitador das regras do jogo. Como exemplo disso, Materazzi cita as duras batalhas que protagoniza com Gattuso, do Milan, a quem considera seu melhor amigo.
- É como se ele fosse meu filho. Quando chegou ao Perugia, aos 15 anos, emprestei dinheiro a ele. A amizade não muda porque fazemos duros duelos com regularidade - garante Materazzi.

Por fim, o zagueiro disse que a única coisa que o tira do sério é xingar sua mãe.

- Essa gente não respeita a minha história. Minha mãe morreu quando eu tinha 15 anos. Sabe o que isso significa para uma criança? Qualquer pessoa que tenha passado por isso pode entender como sofro quando me chamam de f.d.p - concluiu.

Globo Esporte

Folclore invade a América

É claro que quando recebemos um e-mail, fica difícil saber a veracidade. Trote de origem, de texto, qualquer possibilidade... Mas vejam esse comentário que recebi antes da final da Copa América e que só li agora...

Hola.
Una pergunta: ?Cuál la verdadeira razión que Usted brasileños tien tanto miedo de enfrentar nuestra selección . Conforme prensa brasileña (Sitios noticiarios de brasil) brasileños(selección ) evitan la posibilidad de enfrentar logo la gran selección argentina. ? porque usted brazucas tien tanto miedo de nosotro. ? es porque somos la gran bicho papon diesta Copa. Treman brazucas, más treman mucho porque vamos la humilhar su medilcre selección. Acá nuestra prensa habla mucho sobre miedo de brazucas de ver la gran posibilidad de enfrentar nosotro antes de la finale. un arbazo sus covard.

O Folclore da Bola agradece a participação do leitor de Cordoba.